terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Poema Lunáutico - Cassiano Ricardo - Imagem - Canguçu - RS - Brasil

Poema Lunáutico

Lua,
cúmplice dos idílios
terrestres;
germinadora, agrária;
que a cidade grande
aboliu
com as suas
luas
enforcadas nos postes
da Light.

Lua,
das frautas na rua
antiga ou
do luar do sertão,
de Catulo, a mesmíssima
hoje,
Onde os cosmonautas
desceram Borboletas
num alvo
fruto.

Tocando, com pés de
terra,
o poético absoluto
de sua alvura.

Nunca tão belo o mundo
para se querer morrer,
tão sem razão para o suicídio nuclear, dentro
do espetáculo
perpendicular,
lunar.

Fabricam-se mais bombas
do que se criam
pombas
nos pombais.

Como amanhecer em meio
a isto tudo
senão pela crença de
que cada dia
é uma pequena
ressurreição,  até que
venha
a madrugada definitiva?

O nascimento do homem
novo
liberto do próprio homem
(sol saído de uma azul casca de ovo)

Manchar o rosto à Lua, o
seu pudor de flor com
pés
de terra,
sem conquistar o amor
que ela (de graça) nos ensina;

conquistar a Lua, redondo
pirilampo,
como se caça uma garça
no campo
sem conquistar o amor
que, por trás da vidraça,
ela nos ensina;
conquistar a Lua como
quem conquista, voadora,
uma mulher nua,
sem conquistar o amor
que ela nos ensina:
o mesmo
que conquistar uma clave
de fá
a uma fá/
lua.


Bem menos que possuí-la
em particular (tranquila)
sob a forma de luar
na rua.
Ou no Jardim Público
onde Pã possuiu Selene.

Ó Lua em quem
Aldrin,
Armstrong,
Collins
desceram
alados
modul'ados.

Mesmo que teu solo
seja áspero, desnudo,
vísceras
à mostra, como vemos
nas fantasmagóricas
fotos espaciais,
dá-nos agora
o amor
(universal) que nos
ensinas
com o teu "Mar da Serenidade"
e nos terás dado tudo.

Mesmo que sejas
luscotriste
(sem ouro
nem prata)
dá agora a tua

serenidade

aos homens sôfregos que
governam o mundo;
e nos terás dado
tudo.

Cassiano Ricardo

Fonte:

Seleta em Prosa e Verso - Cassiano Ricardo

Organização, estudo e notas da Professora Nelly Novaes Coelho

Imagem: Luar Canguçuense - Lua Cheia - Canguçu, RS, Brasil

Foto: Loila Teresinha Cunha de Matos

Lembretes:

  • Ler o Livro! 
  • Ofertar Livros! 
  • Ler Sempre!
Ver:

Forte Santa Tecla - O Uruguai a "Olho Nu" - Imagens - Bagé - RS - Brasil

Lua Cheia - Rainha Triunfal - Poesia - Loila Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário