segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

SETE VEZES DESPREZEI MINHA ALMA - GIBRAN KHALIL GIBRAN - AREIA E ESPUMA - IMAGEM - CANGUÇU - RS - BRASIL

Sete vezes desprezei minha alma:

Quando a vi disfarçar-se com a humildade para alcançar a grandeza;
Quando a vi coxear na presença dos coxos.
Quando lhe deram a escolher entre o fácil e o difícil;
Quando lhe deram a escolher entre o fácil e o difícil, e escolheu o fácil;
Quando cometeu um mal e consolou-se com a ideia que outros cometem o mesmo mal;
Quando aceitou a humilhação por covardia e atribui sua paciência à fortaleza;
Quando desprezou a fealdade de uma face que não era, na realidade, senão uma de suas próprias máscaras;
Quando considerou uma virtude elogiar e glorificar.

Fonte:

Areia e Espuma - Gibran Khalil Gibran
Tradução e Apresentação: Mansour Challita

Imagem: Sete Flores de Matricária -  Canguçu, RS, Brasil - 12 de dezembro de 2016
Foto: Loila Teresinha Cunha de Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário