sexta-feira, 8 de maio de 2015

Força Estranha - Caetano Veloso - Roberto Carlos - Imagem - Cachoeira do Arco-Íris - Pelotas - RS - Brasil

Força Estranha

Eu vi um menino correndo
Eu vi o tempo
Brincando ao redor do caminho
Daquele menino.

Eu pus os pés no riacho
E acho que nunca os tirei
O sol ainda brilha na estrada
E eu nunca passei.

Eu vi a mulher preparando outra pessoa
O tempo parou para eu olhar
Para aquela barriga
A vida é amiga da arte
E a parte que o sol me ensinou
O sol que atravessa essa estrada
Que nunca passou.

Por isso uma força estranha
No ar
Me leva a cantar
Por isso essa força estranha
No ar
Por isso é que eu canto
Não posso parar
Por isso essa voz tamanha.

Eu vi os cabelos brancos
Na fonte do artista
O tempo não pára e, no entanto,
Ele nunca envelhece!
Aquele que conhece o jogo
Do fogo das coisas que são
É o sol, é o tempo, é a estrada
É o pé e é o chão.

Eu vi muitos homens brigando
Ouvi seus gritos,
Estive no fundo de cada vontade encoberta
E a coisa mais certa de todas as coisas
Não vale um caminho sob o sol
E o sol sob a estrada, é o sol.

Por isso uma força
Me leva a cantar
Por isso essa força estranha
No ar
Por isso é que eu canto
Não posso parar
Por isso essa voz, essa voz tamanha.


Fonte:

Roberto Carlos - Revista Saber Violão Especial - 1986
Todas as suas canções

Imagem: Mulher Grávida - Cachoeira do Arco-Íris - Pelotas - 2015
Foto: Loila

Ver:

Programa Encontro - Fátima Bernardes - Força Estranha

Nelson Motta - Parceria: Caetano Veloso e Roberto Carlos


https://www.youtube.com/watch?v=zNsrKN3LLo8
https://www.youtube.com/watch?v=k6YsE3_PQJQ

Nenhum comentário:

Postar um comentário