domingo, 6 de janeiro de 2013

Schopenhauer - Pensamentos


  • A morte é propriamente o gênio inspirador, ou a musa da filosofia, como Sócrates a definiu [preparação para a morte]. Dificilmente se teria filosofado sem a morte [...] Quando somos a morte não é, e quando a morte é, não somos.
  • Se o sentido mais próximo de nossa vida não é o sofrimento, nossa existência é o maior contrassenso do mundo. Embora toda  infelicidade individual apreça como exceção, a infelicidade, em geral, constitui regra.
  • O consolo mais eficaz em toda a infelicidade, em todo o sofrimento, é observar os outros, que são ainda mais infelizes do que nós...
  • Naquilo que concerne à vida do indivíduo, cada história de vida é uma história de sofrimento. Cada decurso de vida é, via de regra, uma série contínua de pequenos e grandes acidentes, ocultos tanto quanto possível pela pessoa, porque sabe que os outros raramente sentiriam simpatia ou compaixão.

Schopenhauer - Filósofo do pessimismo
Fonte: Dossiê Schopenhauer - Deyve Redyson
Local da Imagem: Canguçu, RS
Lembrete: Ler o livro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário