domingo, 2 de dezembro de 2012

Onde me Procuras? Ó Ser Liberto! - Kabir - Poema - Mestres - José Tadeu Arantes

Onde me procuras?

Onde me procuras?
Estou contigo.
Não nas peregrinações ou nos ídolos,
tampouco na solidão.
Não nos templos ou nas mesquitas,
tampouco na Caaba ou no Kailasa.
Estou contigo, ó homem,
estou contigo.
Não nas preces ou na meditação,
tampouco no jejum.
Não nos exercícios iogues ou na renúncia,
tampouco na força vital ou no corpo.

Estou contigo , ó homem,
estou contigo.
Não no espaço etéreo ou no útero da terra,
tampouco na respiração da respiração.
Procura ardentemente e descobre,
em um instante único de busca,
Kabir diz: escuta, com atenção!
Onde está tua fé, lá estou eu.

Ó ser liberto

Ó ser liberto, eu sou o iogue de muitas eras:
não venho nem vou, tampouco avanço;
Eu saboreio e desfruto o Som não percutido.
Em toda a direção vejo apenas uma coleção e um
carnaval de mim: estou em todos e todos em mim;
sou eu apenas absolutamente só.
Eu sou o siddha, eu sou o Samadhi: eu sou o
que silencia, eu sou o que fala; a forma é minha
própria forma manifestando o sem-forma.
Eu sou aquele que joga o jogo consigo mesmo.
Kabir diz: escuta, ó sadhu! Já não há mais desejo.
Estou flutuando em mim mesmo, em minha própria
cabana, brincando sem esforço por vontade própria.


  • Kabir, o santo de muitos credos

Reverenciado como santo por hindus, muçulmanos e siques, ele combateu o fanatismo religioso e proclamou a unidade profunda de todas as religiões. Seus poemas são ainda hoje recitados em sala de aula e cantados alegremente por milhões de seguidores.

Fonte: Mestres - José Tadeu Arantes

Lembretes:

Ler o Livro!
Ofertar Livros!
Sem espaço para fotos.

Ver:

À  Procura de ti... Senhor - Poesia - Loila Matos
http://cangucuemcores.blogspot.com.br/2009/04/procura.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário